quinta-feira, 30 de novembro de 2017

Neste Natal vamos...

...comprar menos brinquedos, roupas, livros e demais bugigangas que tantas vezes acabam em quermesses. Vamos olhar para o que temos em casa e podemos oferecer (sim, o re-gift é um hábito saudável), vamos perguntar às pessoas de que precisam ou o que gostavam mesmo de ter e tentar dar-lhes isso, sem gastar um salário inteiro?

...vamos comprar menos, e menos em lojas enormes de grandes cadeias e procurar nos artesãos, nas feiras, nas lojas de rua?

...vamos olhar para os nossos vizinhos, colegas do lado e saber se têm necessidades que não estejamos a suprir?

...vamos perguntar nas associações e instituições perto de nós que contribuições podemos dar para ajudar os que estão próximos a ter um melhor Natal?

...vamos embrulhar os presentes com papel de revista ou de jornal, reutilizar sacos de papel, usar papel de seda ou outro que possa ter outra utilização para além de uma única?

...vamos desperdiçar menos dinheiro (e comida, e tempo) em almoços e jantares de Natal que na verdade só tentam colmatar as ausências do resto dos meses?

...vamos tentar que os nossos filhos não recebam 30 presentes que só os vão fazer sentir que têm tudo aquilo que querem, e dosear - ao longo do ano - a entrega dos que receberem?

...vamos lembrar-nos verdadeiramente do sentido do Natal - nascimento, renascimento, renovação, amor, vida - e deixar de lado o consumismo desenfreado em que se transformou?

Se dermos mais abraços, mais atenção, mais bondade, desconfio de que teremos, verdadeiramente, um Natal melhor. E consequentemente, um mundo melhor [um daqueles onde não há pessoas a serem vendidas a 300 euros; crianças abandonadas à sua sorte sem famílias que as queiram; velhotes sozinhos sem que cuidem deles..]

Feliz Advento!

Sem comentários:

Enviar um comentário

Ocorreu um erro neste dispositivo