terça-feira, 12 de setembro de 2017

Somos os mais educados

Adoramos ser fashion. Ler os blogues todos, vestir as roupas da moda, ir aos restaurantes da moda, publicar tudo nas redes sociais; também adoramos ser saudáveis. Seguir as pessoas que comem bem, correr, ir ao ginásio - sempre com o devido outfit - e publicar tudo nas redes sociais. Adoramos design e decoração de interiores. Lemos revistas, lemos blogues, vemos youtubers e programas de decoração. Depois aplicamos à nossa casa e publicamos nas redes sociais. Adoramos jantar com amigos, ir a praias paradisíacas, fazer viagens incríveis para poder fotografar os lugares - mesmo que não estejamos bem a ver o que está defronte de nós - e publicar tudo nas redes sociais.

Aliás, publicamos nas redes sociais como somos pessoas incríveis: viajadas, cultas, fashion, atualizadas, com dinheiro, com bom gosto, saudáveis, activas, com o melhor trabalho do mundo (#lovemyjob), super comprometidas com diversas causas (#girlpower; #refugees; #dogoodthings...); super preocupadas com o mundo e com o ambiente no geral. Somos, num retrato das redes sociais, a sociedade ideal que vai fazer o mundo durar para sempre.

Só que depois existe a vida real: onde cada pessoa usa um carro, e pode demorar quase uma hora a chegar ao trabalho porque "Deus nos livre ir com a plebe de transportes" - causamos mais trânsito na cidade, mandamos o ambiente dar uma curva e até nem queremos bem saber se por acaso demoraríamos menos de transportes;

Inscrevemos os filhos em colégios particulares porque "a escola pública já se sabe...", mas quando os vamos levar deixamos o carro em segunda fila, ou em cima do passeio, ou em cima da passadeira, ou simplesmente no meio da estrada, num acesso de muita boa educação (por favor, detectem a ironia); não importa se os outros carros não passam, se as cadeiras de rodas e carrinhos de bebé não passam, se causamos uma fila inacreditável. É tudo pela melhor (?) educação dos miúdos;

Lemos milhares de livros sobre parentalidade positiva, amor, educação, glúten, peles atópicas e afins, mas não nos importamos que os putos, aos dois anos, só comam agarrados a telefones. Desde que sejam brócolos...

Conduzimos de olhos postos no telefone e sempre a ver se conseguimos fazer aquele quilómetro na fila da esquerda porque na da direita, para onde precisamos de ir, está fila. E depois entramos assim à maluca. Afinal, não tem mal, pois não?

Fumamos cigarros na rua, de preferência à porta do escritório, e ignoramos estoicamente o cinzeiro que lá está. Há-de passar um varredor para limpar as beatas, e o que importa o mundo, no geral? O mesmo se aplica à praia: vamos com a toalha da moda, o protector da moda, os óculos da moda e a seguir atiramos beatas para a areia toda, porque... bom, não sei. Mas sei que este ano os primeiros minutos do meu dia eram a garantir que a minha filha, muito apreciadora de areia, não morria com uma beata na garganta.

Atiramos lixo pela janela do carro, papéis para o chão, pastilhas elásticas para o campo. Compramos nas lojas de produtos biológicos, mas não nos importamos que o Continente online nos entregue as compras com mais 10 sacos de plástico do que o realmente necessário. Clamamos igualdade de género mas somos os primeiros a comentar a roupa de uma mulher que chegue a um cargo qualquer de responsabilidade - ou a pensar, mesmo que sem dizer, que certamente ela terá dormido com alguém.

E podia continuar, porque me bastam dois dias ou três a andar de carro em Lisboa ao invés de nos habituais transportes para ficar com pano para mangas para tantas análises sociológicas. E no final disto tudo, deste mar de coisas, acontecimentos, novidades, pessoas, vale também a pena perguntar: quantos de nós, durante o dia, perguntamos a uma só pessoa da nossa lista de amigos como é que ela está?

Como dizia uma grande amiga minha: "quando nos damos menos, sofremos menos". Só que quando nos damos menos, o mundo todo perde. E nós, animais sociais, ainda não nos apercebemos de como estamos a deitar tudo a perder.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Ocorreu um erro neste dispositivo